Edição de Livros em Portugal e no Brasil: influência e contra-influência na inversão do poder tipográfico

Medeiros, N. (Speaker)

Activity: Talk or presentationOral presentation

Description

Tempo fértil em alterações que transformaram a face do universo editorial em Portugal e no Brasil, os anos que decorrem entre o princípio da conflagração mundial de 1939-45 e o decurso da década de 1960 constituem o período em que se assiste a uma inversão nos processos de influência tipográfica entre os dois países, com Portugal a passar de exportador líquido para importador líquido nas suas transacções com o Brasil no que concerne ao livro. O espaço brasileiro do livro e da leitura, e de um ponto de vista português, é omnipresente nas práticas retóricas dos editores portugueses sobre o desenvolvimento do livro português, do seu mercado e do intercâmbio cultural lusófono. As relações entre os sectores editoriais dos dois países seguiram um périplo repleto de escolhos, com avanços e retrocessos. Até aos anos 1960, as posições das gentes do livro portuguesas – sobretudo, mas não exclusivamente, dos editores – face ao mercado brasileiro apegam-se à antiga ideia de dependência como subproduto de colonização cultural. Fortemente habituados à situação histórica de incipiência do mercado do livro no Brasil, os editores portugueses tendem a observar-se como centro a quem está reservado um papel de alimentação de um público e de um sistema livreiro que lhe é fiel. A transfiguração da realidade, cujo sinal inequívoco é dado tanto pelo lento reconhecimento da evolução e progresso do universo do livro produzido no Brasil como pela legislação brasileira que a partir de 1948 e durante oito anos proíbe a importação para o Brasil de obras de autores estrangeiros, traduzidos ou editados em Portugal, obrigou ao paulatino abandono do princípio que sustentava o direito histórico à influência cultural sobre o território brasileiro, não assumido mas patente nos discursos dos editores portugueses. Subjugados por circunstâncias variadas, os agentes da edição portuguesa só no término dos anos 1950 começam a construir uma imagem renovada do papel dos congéneres brasileiros, da sua produção editorial e das mutações nas apetências do seu público, surgindo uma prodigalidade de sugestões de entendimento, de propostas de certames conjuntos e de alvitres para centrais de distribuição da produção livreira de cada um dos países no outro. Esta comunicação explicita o ponto de vista da edição portuguesa nos modos variados como os seus agentes foram elaborando a representação do Brasil enquanto centro produtor e disseminador do livro, e como as mudanças suscitadas foram ocorrendo num contexto de oscilação – e tensão – entre discursos amarrados a uma época de ouro que ficava irremediavelmente para trás e práticas de colaboração efectiva entre os universos tipográficos português e brasileiro, suportadas em grande medida na actuação de editores individuais.
Period19 Jul 2011
Event titleXXVI Simpósio Nacional de História (ANPUH): null
Event typeConference
Conference number26
LocationSão Paulo, Brazil
Degree of RecognitionNational