Pluralidade, Mudança e Produção de Valor na Edição de Livros: notas sobre a edificação social da cultura impressa

Medeiros, N. (Speaker)

Activity: Talk or presentationOral presentation

Description

O mundo social do livro não corresponde ao mundo do objecto, mas ao das práticas e dos agentes que o viabilizam enquanto tal. A afirmação de semelhante truísmo torna-se, por vezes, necessária para que se não perca de vista uma das características centrais desse mundo: o de que a edição é um trabalho de produção de valor. O esforço de materialização de um livro é também o da infusão de benefício simbólico, sem o qual o objecto físico se perde enquanto objecto de desejo, factor de aval de conteúdos ou elemento de alarde identitário. Em matéria de livros e de outros produtos culturais, o fabrico do bem palpável pode estar destituído simbolicamente, se desacompanhado da produção de valor impalpável do objecto fabricado. A realização de um livro é muito mais que uma origem autoral primordial; é também o resultado editorial e livreiro da sua instituição social como obra conhecida e reconhecida pelos seus receptores finais. O conhecimento e reconhecimento radicam na convicção dos seus usufrutuários finais no valor intrínseco da obra. Muito mais do que elemento reduzido à reificação do texto, o editor produz a crença no valor que este adquire como livro. E esse é, sob vários aspectos, o seu poder simbólico de prescrição: o “de constituir o dado pela enunciação, de fazer ver e fazer crer, de confirmar ou de transformar a visão do mundo e, deste modo, a acção sobre o mundo, portanto o mundo”. O editor vê-se, então, investido objectivamente de um papel também veiculado discursivamente como ideologia do sector: o de descobridor, o de criador do criador; preenchendo um lugar central enquanto peça charneira no jogo dinâmico entre a cultura literária, a emergência, desenvolvimento e declínio de géneros, temas e autores, as transformações do mercado do livro e as mudanças tecnológicas que o próprio objecto traduz. Personagem-filtro, intérprete, mas também interventor, prescrevendo, legitimando e ordenando o universo tipográfico, o editor surge como figura múltipla e socialmente investida de atributos e práticas mediadoras na sua relação com o dado textual. Produtor de valor e materialidade, o editor inscreve o projecto do livro num espaço social colaborativo de trabalho, o campo da edição. Esta comunicação procura sistematizar teoricamente alguns tópicos relativos à articulação do editor com a construção social do campo editorial e a edificação da cultura impressa. Empreender semelhante exploração é abdicar forçosamente de uma visão linear, unidimensional e historicamente asséptica do mundo social e cultural do livro, cuja morfologia e suportes conhecem crescentemente os desafios da desmaterialização.
Period21 Jun 2012
Event titleVII Congresso Português de Sociologia: Sociedade, Crise e Reconfigurações
Event typeConference
Conference number7
LocationPorto, Portugal
Degree of RecognitionNational