O pensamento sociológico sobre a tese da secularização: genealogia de sua proveniência pré-sociológica e de sua emergência na sociologia do século XIX

Research output: Contribution to journalConference articlepeer-review

1 Downloads (Pure)

Abstract

Vivemos numa era secular, foi dito em um dos ensaios filosóficos mais importantes do século XXI. Ou seja, existe uma estrutura imanente das ordens social e moral que opera como se o sagrado não existisse ou como se fosse oposto ao processo de emancipação humana. Mas como chegámos até aqui? Julgamos que uma maneira de responder a esta pergunta é através do estudo de uma das expressões-chave do debate político, ético e filosófico contemporâneo – a secularização. Para isso propomos a análise e interpretação das condições que levaram à proveniência e emergência da tese da secularização, bem como do projeto de modernidade que encerra. Recorremos a uma metodologia genealógica de modo a observarmos suas vicissitudes históricas e suas contingências e descontinuidades no discurso (pré)sociológico. Assim, propomos um exame diacrónico das várias significações da secularização, começando pela sua proveniência greco-romana e aprofundando sua emergência no pensamento sociológico do século XIX.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)1-20
Number of pages20
JournalAnais do VIII Seminário Nacional de Sociologia & Política
Issue number08-14
Publication statusPublished - 19 May 2017
EventVIII Seminário Nacional Sociologia & Política: Direitos Humanos e democracia: perspectivas e desafios contemporâneos - Curitiba-PR, Curitiba-PR, Brazil
Duration: 17 May 201719 May 2017
Conference number: VIII

Keywords

  • Secularização
  • Pensamento social
  • Genealogia
  • Sociologia do século XIX

Cite this