Pelo Império: A Fé na Arte Colonial

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contributionpeer-review

40 Downloads (Pure)

Abstract

Pela força da duração do Estado Novo, pode-se afirmar, sem qualquer dúvida, que a arte colonial sob o governo de Oliveira Salazar resultou de um programa comemorativo e auto-apologético que constituiu um veículo privilegiado de legitimação do império colonial português.
De qualquer modo, a relação entre arte e poder, entre fé e império produziu-se num duplo jogo: se, por um lado, a arte necessitou do regime nomeadamente no seu papel de mecenas, por outro, o poder político usou-a para tornar visível o seu discurso, numa constante recorrência ao passado histórico-colonial. Isso significou que o Estado foi um impulsionador, patrocinador, edificador e, simultaneamente, condicionador do discurso artístico imperial e colonial de nítida retórica simbólica
Original languagePortuguese
Title of host publicationArte e Fé
EditorsMargarida Acciaiuoli, Francisco Caramelo, João Paulo Oliveira e Costa, Maria João Castro, Teresa Meruje
PublisherUniversidade Nova de Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas
Pages143-157
Number of pages15
ISBN (Print)978-989-98998-4-4
Publication statusPublished - 2016

Cite this