Saúde e despesa em saúde num Portugal envelhecido

Research output: Contribution to journalArticlepeer-review

44 Downloads (Pure)

Abstract

A população portuguesa sofreu um substancial aumento da esperança média
de vida nas últimas quatro décadas. No mesmo período, registou-se um
progressivo aumento da despesa em saúde. Existe uma correlação positiva forte
entre estas duas variáveis? Face ao esperado aumento da esperança média de
vida dos portugueses, é expectável um aumento da despesa em saúde?
Esta investigação tem por objectivo perceber o impacte do envelhecimento
populacional na saúde e, consequentemente, nos gastos em saúde. É,
simultaneamente, uma análise qualitativa (revisão da literatura) e quantitativa
(análise e tratamento de dados), que se centra no estudo do caso português
e compreende o período entre 1970 e 2014, que corresponde a uma fase de
profundas alterações, quer em termos de dinâmicas e configuração demográfica,
quer ao nível das condições de vida dos portugueses, designadamente em
termos de acesso a cuidados de saúde.
Os resultados desta investigação não parecem identificar o envelhecimento
da população como um dos principais determinantes da despesa em saúde,
pelo que o esperado aumento dos níveis médios de envelhecimento individual
e demográfico não terão de representar necessariamente um acréscimo da
despesa em saúde nos próximos anos. Esta constatação não invalida que a
existência de uma população mais envelhecida coloque novos desafios ao
sistema de saúde português, em particular na organização da sua estrutura e
no tipo de respostas que são oferecidas aos cidadãos.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)41-63
Number of pages23
JournalRevista de Estudos Demográficos
Issue number56
Publication statusPublished - 2017

Keywords

  • Despesa em saúde
  • Portugal
  • Envelhecimento
  • Saúde

Cite this